Por que os eventos são a melhor alternativa para combater a sazonalidade em hotéis e resorts?

Por que os eventos são a melhor alternativa para combater a sazonalidade em hotéis e resorts?

O período do ano entre maio e setembro historicamente costuma ser o mais desafiador para gestores empreendimentos hoteleiros. É o período que mais sofrem os efeitos da sazonalidade em hotéis e resorts, que resultam na queda da taxa de ocupação. Por sorte, entre fevereiro e abril e entre outubro e novembro alguns feriados prolongados ajudam a atrair hóspedes. Mas a questão é como manter a ocupação o ano inteiro? Para vencer este desafio, a estratégia mais utilizada tem sido a captação de eventos. Garante uma taxa de ocupação alta, mesmo longe da temporada de férias de fim de ano que movimenta a rede hoteleira até o reinício das aulas.

Os números comprovam a importância dos eventos como antídoto para os prejuízos gerados pela sazonalidade em hotéis, entre os quais os custos elevados de manter um empreendimento que, sem eventos, passa boa parte do ano quase vazio.

O II Dimensionamento Econômico da Indústria de Eventos, pesquisa da ABEOC Brasil (Associação Brasileira de Empresas de Eventos) em parceria com o Sebrae, mostrou que o período mais aquecido para a realização de eventos tem iniciado em maio e alcançado seus melhores percentuais no segundo semestre.

A mesma pesquisa indica que hotéis e resorts aparecem com destaque no ranking que mede a oferta de espaços para eventos. Lideram em todas as regiões, menos no Sul, e somam quase 1.700 espaços no total do país. E especialistas do setor de captação atestam ainda que a realização eventos já é responsável por 60% das ocupações de hotéis e resorts que mantém área dedicada a este segmento em suas instalações. E como dizem os hoteleiros, “a noite em que uma cama não é usada, não se recupera mais”.

Ocupação o ano inteiro sem restrições

Mas por que os eventos são a melhor alternativa para combater a sazonalidade em hotéis e resorts? Porque não há restrição nem da parte do público, como no caso de quem só viaja no período de férias (aqui a viagem é mais compromisso que lazer e por isso independe da época do ano) nem de questões geográficas e climáticas relacionadas ao litoral ou a serra. Ou seja, os hóspedes vão para o hotel participar do evento independentemente do mês, faça sol, faça chuva, faça calor ou faça frio. Só depende do hotel e do resort garantir a qualidade do evento, bem como oferecer atrativos relacionados e valores competitivos para a hospedagem.

Hóspede de evento gasta mais

Esta característica do público é outro fator que justifica a opção de investir na captação de eventos. Como já é sabido, o perfil de um participante de evento é diferente do hóspede de lazer. Diferentes fontes indicam que ele gasta de 50% a quatro vezes mais do que o turista de lazer e está disposto a valorizar sua presença no evento, que é um momento importante para sua carreira. E mais: é muito comum que participantes levem acompanhantes, o que por si só já é um grande negócio para o hotel – pelo menos uma diária a mais e boa oportunidade para oferecer serviços como spa e outros –, podendo ainda ampliar sua estadia justamente para aproveitar mais alguns dias na cidade após o evento.

Escolha certa pela captação de eventos

Os eventos têm favorecido hotéis e resorts da região Sul, por exemplo, que costumam ter suas imagens vinculadas à sua localização geográfica no litoral ou na serra e suas respectivas condições climáticas. Prova disso é que o Costão do Santinho, um dos maiores empreendimentos do Sul do Brasil, localizado em Florianópolis, tem investido fortemente na captação e realização de eventos. E o resultado desta escolha, como mostram os números de 2014, foi um aumento de 10% no número de hóspedes por causa dos 122 eventos como congressos e encontros empresariais realizados em seu centro de convenções no decorrer do ano.

Outro aspecto que atesta a captação de eventos como a melhor alternativa para hotéis e resorts combaterem a sazonalidade é que o faturamento do Costão do Santinho, que é assessorado pela Pires & Associados, no mês de setembro de 2014 foi maior que o de janeiro – auge da temporada de verão – do mesmo ano.

Suporte especializado

Para fazer dos eventos realmente a melhor alternativa para combater a sazonalidade em hotéis e resorts, no entanto, não basta querer. É preciso investir em infraestrutura para oferecer o melhor para os participantes. E junto com isso, compreender a importância de fazer um trabalho bem feito de captação que possa preencher a agenda do espaço de eventos de janeiro a dezembro.


 

banner-e-book628


[contact-form-7 404 "Not Found"]


Artigo publicado em:
05/04/2016
Categorias:
Hotelaria e Eventos
Tags:
, ,



Veja também:

Nenhum comentário

Deixe um comentário